Translate

28/05/14

Mãe



O tempo me madureceu
Agora quero lhe falar
Coisas que no passado
O acaso me fez calar
A principal delas
É mostrar que sei amar

Agora está presente
Mas não pode escutar
Nesse sono profundo
Que não vai mais acordar
Imagino que me ouve
E não sabe demonstrar

Sua sabedoria grandiosa
Sempre soube educar
Com seu jeito simples
Sem precisar distratar
Semeou união, humildade
Por onde teve que passar

Queria que voltasse
Um dia um minuto talvez
E nesse tempo tivesse
Com sua sagaz lucidez
Para que eu possa lhe digirir
Com toda minha sensatez

Direi em alto e bom tom
Abraçando e afagando
Olhando para seus olhos
Lentamente soletrando
M.ã.e  e.u   t.e   a.m.o
É seu filho que esta falando

Aproveitaria esse momento
Para poder lhe contar
Esta cercada de anjos
Ávidos e sem fraquejar
Enviados por Deus
Só para te vigiar

Que seu fiel companheiro
Apesar de sua limitação
Faz com fé o que pode
Com toda sua devoção
Pede ao onipotente
Em forma de oração
  
Diria a família esta crescendo
Já é bisavó mais uma vez
Pedem-lhe a benção
Mantem-se em frigidez
Dizem abençoou com coração
Não entendem sua lucidez

O mundo continua girando
E não vemos sua alegria
Não demonstra tristeza
Nessa sua letargia
Perdeu os movimentos
E também sua fonia

Mas não preocupe mãezinha
Os anjos lhe tem lealdade
E estão sempre conectados
Prontos para caridade
Sabem a hora e a vez
De cada necessidade

Mas nos conforta a certeza
Quando daqui se for
Onde e que seja o destino
Plantou um rastro de flor
Deixando para nos o exemplo

O que é a pureza e o amor.



08/05/14

IMBRÓGLIO FAMILIAR


Vou a um psiquiatra
Para poder consultar
Estou ficando louco
Ele tem que me ajudar
Já nem sei quem eu sou
No âmbito familiar

Explico com detalhes
O que esta a me embaralhar
Qualquer um ficaria confuso
Você a de concordar
Também não vai entender
Quando terminar de contar

Meu pai e minha mãe
Separaram em comunhão
Ficaram bons amigos
Cada um numa direção
Foi o inicio da história
E da minha confusão

Meu Pai casou com minha tia
Minha mãe com meu tio
E do novo casamento
Cada um teve um filho
Entender os parentescos
É que virou um desafio

Eu fiquei  com meu pai
Minha irmã com a mãe foi morar
Todos por livre vontade
Escolheu com quem ficar
Minha tia tem uma filha
Meu pai teve de adotar
  
Minha mãe também herdou
Um novo filho sobrinho
Meu tio morava com ele
Não queria ficar sozinho
Fui eu que batizei o rapaz
Que me chama de padrinho

Para confundir mais ainda
A minha irmã engravidou
Do filho da meu tio 
A que minha mãe casou
Fiquei com a filha da minha tia
Que a meu pai namorou

O casamento do meu pai
Aumentou a confusão
Minha tia virou minha mãe
Por causa desta união
Quem antes era primo
Também virou meu irmão

O novo filho da minha mãe
É meu primo e cunhado
Minha mãe é minha sogra
E o que é mais engraçado
Meu pai é meu sogro
Com sua filha eu sou casado

O filho do meu tio
Que é meu afilhado
É também meu irmão
E virou meu cunhado
Ainda é meu primo
Com minha irmã é casado

O marido da minha irmã
Minha mãe pode considerar
Como sobrinho, Genro e filho.
Sobrinho era antes de casar
Genro porque ficou com sua filha
E filho porque teve de herdar

A filha do meu pai
Com sua cunhada
É minha prima e irmã
E comigo esta casada
Quando conto as pessoas
Acham que é piada

A irmã da minha mãe
É minha tia por natureza
Sua filha a fez minha sogra
Com toda honra e nobreza
Virou minha mãe também
Casou com meu pai na igreja

Quando olho num espelho
Fico a me perguntar
Numa arvore genealógica
Onde é o meu lugar
Já nem sei quem eu sou
Nesse imbróglio familiar.



26/03/14

O FIM DO MUNDO













Aconteceu na cidade
Em Minas, no interior
Um fato bem curioso
Gerou grande pavor
Só viu este episódio
Quem hoje já é senhor


Assunto das esquinas:
Como vamos fazer?
O Halley vai passar
Na Terra vai bater
É um grande cometa
O que vai acontecer?


E quando nela chocar
Tudo aqui vai derreter
Será que irá agüentar
Talvez só vá tremer
Tudo vai arrebentar
Ou todos vão morrer


A notícia explodiu
O jornal foi publicar
Foi de boca em boca
Na praça a conversar
Assunto do momento
O mundo vai acabar


A noiva bem depressa
Foi com o noivo conversar
Arrume logo os papeis
Vamos rápido nos casar
Não queria ir solteira
Para outro mundo passar


A virgem logo achou
Um homem para ficar
- Se dane o preconceito
Não posso mais esperar
Não deixo a virgindade
Para o fim do mundo levar


A beata correu para igreja
E se pôs de joelho rezar
D’Olho para o cristo disse:
- Sr. sei que pode escutar
Me leva direto para o céu
A Sua direita quero sentar


O bêbado foi ao boteco
Pediu uma pinga fiado
O balconista o serviu
E ouviu desconfiado
-Se o mundo não acabar
Volto depois e pago


Naquela pacata cidade
Foi a maior confusão
Todos queriam aproveitar
Daquela triste situação
Todos apavorados
Correndo sem direção


O agiota desesperado
A todos pediu resgatar
O dinheiro emprestado
Mesmo sem o juro pagar
- Por causa do fim mundo
Não posso mais emprestar


O dono da venda ordenou:
- Pagues o tens a dever
Estamos aguardando
O que vai acontecer
A partir de hoje na venda
Fiado não mais vou vender


O ateu mudou de crença
E entrou na Igreja louvar
Em oração pediu a Deus:
- Senhor vim aqui implorar
Acredito no seu poder
O Sr. tem que nos salvar


Na funerária uma faixa
“Morra sem ser pagão
Antes que tudo acabe
Pague a vista seu caixão
E ganhe uma lápide
Feita em pedra sabão”


O coveiro disse feliz:
- Se tudo acontecer
Vou garantir emprego
Terei muito que fazer
O cemitério vai lotar
Muita gente irá morrer


O tabelião mercenário
E de tanta sagacidade
Disse aos funcionários
Rindo de tanta felicidade
- Emitam atestado de óbito
Para todos da cidade


O Prefeito então reuniu
A Assembléia da cidade
Antes de o fato ocorrer
Com toda velocidade
Declarou ao Presidente
Estado de calamidade


E nada aconteceu
Quando o cometa passou
O céu apenas brilhou
A terra não acabou
E muita decepção
Naquela cidade gerou


E a noiva pobre coitada
Tentou mas não agüentou
Ficou muito entristecida
De seu marido separou
Porque veio a descobrir
Que com a virgem ele ficou


A virgem não importou
Nem ligou para se casar
Descobriu nova vida
Ficou alegre a festejar
Pois agora na barriga
Tinha um filho para criar


A beata não conforma
Depois de tanto rezar
Com seu véu e grinalda
Vai ter que se contentar
Sentar no banco da igreja
Ouvindo o padre pregar


O bêbado ficou apertado
Depois que o fogo passou
De toda aquela história
Apenas a ressaca ficou
Teve de pagar o fiado
Pois o mundo não acabou


O agiota envergonhado
Dirigiu a todos falando
- Agora está em promoção
Continuo emprestando
O juro ficou mais baixo
Todos vão sair ganhando


O moço da venda remiu
Afirmou fui um idiota
Nunca mais vou escutar
Essa conversa de lorota
A venda pela caderneta
Agora já está de volta


O ateu assustado disse
Depois de muito tremer:
- Onde já se viu um cometa
No enorme planeta bater?
Eu sabia todo momento
Que nada ia acontecer


Foi o dono da funerária
O único que se deu bem
Aproveitou a oportunidade
Nem uma urna mais tem
Vendeu todos os caixões
Sem ter morrido ninguém


E no cemitério isolado
Que não foi inaugurado
O coveiro desapontado
De cócoras agachado
De tanto ficar a toa
Acabou desempregado

No cartório sempre vazio
Só a virgem e o namorado
Para registrar o nascimento
Da sua falta de cuidado
Viu o tabelião irritado
Que perdeu o planejado


O Prefeito meio sem jeito
Foi em Brasília informar
Presidente tudo acabou
Sem mesmo iniciar
Não tiveram feridos e mortos
O Senhor há de perdoar


Foi um grande alvoroço
O que esta cidade sofreu
Esperando raios e trovões
Nem ao menos choveu
Não teve sequer um ferido
E também ninguém morreu


E a pequena cidade
Naquela pacata vila
Nunca mais vai acreditar
Em notícia descabida
Sempre de olho no céu
Leva uma vida tranqüila

29/05/13

SAUDADE

Saudade é a boa lembrança
Da presença do ausente
Quem teve belo passado
O revivi diariamente
O tempo não esquece
No  coração e na mente

Saudade com carinho
Do pueril e gostoso tempo
As crianças soltavam pipa
Nas ruas sem movimento
Corriam para lá e para cá
Sem nenhum constrangimento

A peladinha da tarde
Há anos era tradição
O amigo da peleja
Era como melhor irmão
Jogava na rua de terra
Depois de fazer a lição

Infeliz é a atual realidade
Todos espaços ocupados
Fios, carros e transeuntes
Todos bem preocupados
Se o filho sai para a rua
Os Pais ficam estressados

Saudade do tempo da escola
Os primeiros passos estudar
Levava uns poucos cadernos
E lanche para merendar
Quando na hora do recreio
Tinha muito que brincar

Na escola agora é diferente
Não se pode mais descuidar
Muitos alunos freqüentam
Sem interesse de estudar
Se sair deixando os pertences
Na volta não está mais no lugar

Saudade do primeiro beijo
Misto de medo e desespero
Cravado na mente pura
Ao lembrar fitando o espelho
De tão tímido e acanhado
O rosto ficava vermelho

 Era pureza e romantismo
Sinceridade no coração
Namorar era tão difícil
Sequer pegava na mão
Para levá-la na pracinha
Tinha que ir com o irmão

Agora tudo é moderno
No primeiro dia tem beijo
Acontece toda liberdade
Alimentando todo desejo
Depois de pouco tempo
Transforma-se em desprezo

Saudade da faculdade
Tão difícil para se formar
Onde se faziam amizades
Para nunca mais separar
Depois de muito tempo
Tinha motivo para encontrar

Agora estuda pela web
Todo mundo acha legal
A prova é pelo monitor
Com professor virtual
Acertando ou errando
Não importa não faz mal

Saudade da mãe querida
Esbanjando saúde tenaz
Na cozinha o dia inteiro
Cá e pra lá no leva e traz
Nunca teve secretária
De tudo era capaz

Trabalhava sempre só
Lavava, passava e cozia
A panela sempre brilhando
Pois areava em demasia
Até massa de macarrão
Aos domingos ela fazia

Agora sem resistência
O corpo enfraquecido
Doente triste acamada
O respeito fortalecido
Conta com os filhos
E do seu fiel marido
  
Saudade das musicas antigas
Que não mais querem tocar
Lindas e suaves melodias
Onde juntinho a dançar
Com os olhos bem fechados
Podia bem longe viajar

Agora só toca o CD
O vinil já não existe
É a tecnologia moderna
Contra ela ninguém insiste
O alegre e romântico
Ficou um pouco mais triste

Saudade da Seleção
Nos deu tanta alegria
O atleta jogava bola
Desde o dia em nascia
A bola ia de pé em pé
Como passe de magia

Saudade do Airton Sena
Domingos de pura emoção
Aquela musica da vitória
Não sai do nosso coração
Com tantos bons exemplos
Onde for será campeão

Hoje não temos mais ídolos
Ninguém para se venerar
Procuro na TV e nos campos
Sem grande nome encontrar
Ainda bem que temos o criador
Para eternamente adorar

Saudades dos passeios
No parque municipal
Andar de barco ou trenzinho
Não tinha nada igual
Mas a charrete de bode
Era a atração principal

De mãos dadas com o pai
Cumprimentando cada pessoa
Não podia faltar a pipoca
Passeando andando a toa
Jogando comida aos peixes
Que povoavam a lagoa

Tenho saudades do passado
Alegro com o meu presente
Mas gostaria que tudo fosse
Um pouco mais diferente
Sinto falta do amigo
Que hoje me é ausente

Saudade de sentir saudades
Triste o que o tempo nos faz
Esquece o passado recente
Ou de muito tempo atrás
Atualmente não sente saudade
Dos tempos que não voltam mais.

           >))))))º>   <º(((((( <