Translate

03/08/2009

O D’EFEITO DO ALCOOL




Homem é um perfeito idiota

É mesmo um pobre coitado

Tem dupla personalidade

Que chega a ser engraçado

Uma é quando não bebe

Outra estando alcoolizado



Não importa qual o produto

Que o sujeito vai beber

O certo é que na verdade

O mesmo ele não vai ser

Depois de alguns minutos

Que pela garganta ela descer



Vinho, cachaça ou Uísque

Poderá ser consumido

Vodka ou mesmo Cerveja

Independe o que foi bebido

O que realmente importa

É se álcool foi ingerido



Quando está alcoolizado

Fica corajoso para valer

Não leva desaforo pra casa

Em todos ele quer bater

Esquece que o valentão

É o primeiro que vai morrer



Quando sóbrio se mantêm

Usa sempre da razão

Resolve tudo na conversa

Sempre chega a conclusão

Como um bom cavalheiro

Não se mete em confusão



Quando chega ao bailão

Sem antes uma tomar

Fica sentado na mesa

Doido querendo dançar

Vendo as moças sozinhas

Sem coragem para chamar



Depois de tomar à maldita

E na cabeça ela chegar

Pega a primeira que vê

E convida para dançar

E sem perder muito tempo

Vai logo querendo agarrar



Ate a mesma mulher

Que antes era horrorosa

Com umas doses a mais

Virou linda e maravilhosa

Ficou desfilando com tonto

Se achando a mais gostosa



Nem todos são iguais

Nesta maneira de ser

Existem algumas exceções

Que é fácil reconhecer

Só observar com atenção

Depois que a pessoa beber



Tem o tipo que fala pouco

Responde se perguntado

Só da respostas curtinhas

É tímido e bem fechado

Passa maioria do tempo

Observando e calado



Depois que bebe “uma”

Conversa como um danado

Fica sentindo importante

Como fosse bem amado

Conta piada indecente

Todos acham engraçado



Vai para casa cambaleando

Com o restinho de energia

Ronca e urina toda noite

Tem ressaca no outro dia

Toma boldo relembrando

Se falou mais do que podia



Tem o tipo nostálgico

Esse é fácil de encontrar

Fica sozinho na mesa

Querendo alguém pra falar

Só que falta paciência

Ninguém o quer escutar



Na realidade este sujeito

Quer mesmo é desabafar

Não conforma com a vida

Quer ombro pra encostar

Basta pegar um pileque

Fica triste e vai chorar



Outro tipo que bebe

É o que não sabe parar

Quando chega numa festa

Sabe muito bem começar

Na hora de ir embora

Alguém tem que amparar



Esse não pode dirigir

A esposa que tem de guiar

Adormece dentro do carro

Vai babando ate acordar

Pede a ela uma paradinha

Para num poste ele urinar



Tem o tipo que é inocente

Bebe pouco e devagar

Encontra uns beberrões

Então tenta acompanhar

Acaba se dando mal

Já sabe no que vai dar



Fica entusiasmado

Não sabe se controlar

De repente em sua volta

Tudo começa a rodar

Corre ao jardim mais perto

E a graminha vai adubar



Tem aquele fresquinho

Não mistura paladar

Só bebe uma marca

Outra, não precisa lhe dar

Prefere ficar sem nada

Que outra experimentar



Inicia com a que gosta

Ate o fogo começar

Elogia a sua preferida

Depois nem consegue notar

Esta bebendo outra marca

Já não tem mais paladar



Tem um que é bem esperto

Esse é mesmo malandro

Enche dois copos de pinga

Manda o outro ir tomando

Quando chega sua vez

Não bebe fica enrolando



E assim vai noite adentro

E o velhaco sem beber

Pegou um metido a macho

Que quando foi perceber

Já estava embriagado

Nada mais podia fazer



Você que é uma dama

Está achando engraçado

Isso também lhe acontece

Se não tiver devido cuidado

E especialmente com você

Pode se mais complicado



Sendo uma polida senhora

Que se veste bem trajada

Evite entrar nessa história

E ficar bem mal falada

Beba com moderação

Não ficando embriagada



Situou-se em algum caso?

Já viveu essa experiência?

Reflita e puxe na memória

Pesou na consciência?

Qualquer semelhança

É mera coincidência



Por isso você que me escuta

Beba com devido cuidado

Não passe pelo ridículo

Nem deixe ser enganado

Aprecie a bebida socialmente

Sem ficar embriagado




2 comentários:

Aparecida disse...

Realmente a moderação deve ser não só na bebida. Sempre em nosso dia a dia. parabéns Renato!!

joaninha disse...

Renato ,muito bom seu cordel d´efeito do alcool, realmente tem pessoas que se revelam depois de uns golinhos a mais, parabens amigo!!!!